Trabalhamos com O Sagrado Povo do Bambu!

Por que o Bambu??

O bambu é versátil! O bambu é realmente um recurso renovável notável. É um material que por séculos tem sido e continua a ser usado por mais da metade da população mundial para aplicações tão variadas como alimentos, abrigo, combustível e roupas. Essas aplicações tornam o bambu um recurso vital não-madeireiro, não petrolífero. Com uma resistência à tração superior ao aço, é um dos recursos naturais mais versáteis e duráveis ​​do mundo.

O Bambu é sustentável!?

O bambu desempenha um papel importante na redução do consumo de madeira, proteção ambiental e florestal, alívio da pobreza e desenvolvimento sustentável das economias rurais. É o dossel de crescimento mais rápido para o reflorestamento de terras degradadas e libera 35% a mais de oxigênio do que os suportes de madeira equivalentes.

O Bambu é Renovável!?

Bamboo é um material altamente renovável. É uma das plantas de crescimento mais rápido da Terra. O bambu não precisa de replantação, cresce sem fertilizantes ou pesticidas e é colhido de suportes controlados com um incrível ciclo de crescimento de três a cinco anos. O bambu não é uma madeira, mas uma espécie de grama. O bambu oferece benefícios econômicos e ecológicos vitais para a vida de milhões de pessoas em todo o mundo; fornecendo alimentos, combustível, habitação, mobiliário, produtos artesanais e conservação de solo e água.

Visão de Bambu:?
  • Um recurso duradouro, de crescimento rápido e verdadeiramente renovável, não precisa de replantação.
  • Uma substituição viável e de alto rendimento para produtos à base de madeira e petróleo.
  • Importantes benefícios econômicos e ecológicos, incluindo conservação de solo e água, empregos, inúmeras aplicações de produtos e alimentos e mais de 1000 usos documentados.
  • Ciclo de crescimento surpreendentemente curto, pode ser colhido em 3-5 anos versus 15-20, típico de muitas madeiras duras.
  • A planta de crescimento mais rápido do planeta, algumas espécies podem crescer até 1 metro ou 3 pés por dia.
  • Um elemento crítico no equilíbrio de oxigênio e dióxido de carbono na atmosfera.
  • Um recurso alternativo renovável para a produção agro-florestal.
  • Os brotos de bambu fornecem uma fonte nutricional de alimentos que podem ser transformados em pão, bolos e biscoitos.
  • Redução ecológica da pressão sobre as florestas através da substituição da madeira.
  • Os produtos podem ser feitos em ambientes rurais, reduzindo os impactos industriais e de urbanização.
  • O bambu é durável, resistente e forte.
Flautas de Bambu!?

O bambu é a matéria-prima por excelência para confecção de flautas. Sua sonoridade é singular. Todas culturas nativas que possuíam geograficamente acesso a bambu, desenvolveram suas flautas, como o xiao chinês, a shakuhachi japonesa, o bansuri indiano, a Ney egípcia, e a flauta nativa americana também. Atualmente é muito difundido flautas no estilo nativa americana feitas em madeira, pois em algumas regiões onde não haviam a river cane (Arundinaria) que é um tipo de bambu, foi desenvolvido uma forma para fazer de madeira (galhos), principalmente o cedro, considerada uma árvore sagrada. Mas atualmente essa forma de fazer flautas é muito onerosa, gera desperdício de madeira, além de depender de maquinários. Nós optamos pelo trabalho artesanal, como a menor interferência possível de processos mecânicos, pois não criamos instrumentos em escala repetitiva. Cada flauta é única e tratada com singularidade.

Muita gente não sabe que nas tradições nativas americanas onde havia o acesso a river cane (Arundinaria) que é um tipo de bambu, as flautas eram feitas desta matéria-prima. Como os povos Choctaw, Navajo, Hualapai, Havasupai, Hopi… A river cane também tem um grande significado espiritual, no mito de origem Navajo, um grande bambu fêmea foi usado para atravessarem do quarto para o quinto mundo como é hoje.

Nós trabalhamos com algumas espécies em função do tipo de flauta e necessidade específica. Nosso bambu é colhido com respeito, nos períodos adequados, é secado no tempo ideal e tratado da melhor forma para garantir sua resistência e boa acústica. A correta manutenção e cuidados do flautista, também vai garantir a durabilidade e qualidade deste instrumento sagrado.

A Flauta Breckenridge

O exemplo conhecido mais antigo de uma flauta nativa americana foi encontrado no noroeste do Arkansas. Na década de 1930, Samuel Dellinger , curador do Museu da Universidade do Arkansas , enviou equipes para escavar em vários locais pré-históricos de abrigo em falésias no planalto de Ozark. O Planalto de Ozark, localizado no atual sudeste dos Estados Unidos, era o lar dos nativos americanos já em 10.000 AC até o início dos anos 1800. Essas escavações desenterraram muitos artefatos importantes e, devido às condições extremamente secas em muitos desses abrigos, as escadas, como a cestaria , as sandálias e os restos de plantas, foram preservadas e coletadas. Entre esses artefatos estava um pequeno pedaço de bambu com furos perfurados em seu eixo.

A flauta Breckenridge

Um detalhe fotográfico que mostra a flauta Breckenridge em contexto durante as escavações de 1933. Foto do museu da Universidade do Arkansas.

Esses artefatos ainda são curados nas coleções do Museu da Universidade do Arkansas. No entanto, o pedaço de bambu (river cane) perfurada passou despercebido por quase 80 anos entre os milhares de espécimes das coleções de 1930 de Dellinger. Em 2011, no Arkansas Archeological Society o voluntário Jim Rees identificou-o como uma flauta. Esta flauta, recuperada do abrigo de Breckenridge no condado de Carroll, é uma flauta de duto de duas câmaras de cana de rio (bambu). Esta é a variedade de flauta conhecida hoje como a “Flauta americana nativa“. É mais complicado do que um duto ou apito simples, que só produz uma nota, ou uma forma mais simples de flauta que tem apenas uma câmara e exige que o tocador sopre no topo da abertura. Os apitos e as flautas simples são tocados da maneira que você soprava sobre a abertura de um bocal para produzir um som. As flautas como a flauta Breckenridge são mais complexas. Você sopra diretamente em uma câmara e o ar é canalizado sobre uma abertura em uma segunda câmara que produz um som.

A flauta Breckenridge

A flauta Breckenridge. Foto de Leslie Walker, Arkansas Archeological Survey, cortesia da The University of Arkansas Museum Collections.

As datas do radiocarbono colocam a flauta entre cerca de 900 e 1000 anos. Isso torna a flauta mais antiga do gênero encontrada na América do Norte até agora.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
WhatsApp