Há muito tempo, havia um jovem nativo, que desejava cortejar as moças da aldeia. Mas havia um problema, ele amava apenas uma moça.

Um dia ele foi esperá-la no rio, no lugar onde elas buscavam água pela manhã, e quando ela chegou seus olhares se encontraram, mas ela sentindo o desejo do jovem, deu um sorriso e falou:

Quem você pensa que é? Acha que eu casaria com você? Um simples morador entre as tendas que nem possui a sua própria tenda? Um absurdo. E com palavras perversas e injúrias, ela fez ele sentir muita vergonha.

A moça era filha de um grande chefe e olhou com abominação para o pobre jovem, e foi embora carregando sua água.

O jovem ficou ali parado pensando: “Ela me causou uma grande vergonha; Seria tão bom se eu morresse imediatamente “.

Então, ao amanhecer, ele atirou uma flecha para o norte e caminhou na mesma direção. À noite, quando ele estava prestes a descansar, ele encontrou um alce gordo imobilizado pela flecha que ele lançou. Ele pegou um pedaço de carne, assou e comeu. Depois de ter comido, a dor em seu coração estava um pouco aliviada; E muito cansado ele logo dormiu.

Então, durante quatro dias: ao amanhecer ele lançava uma flecha e ao anoitecer encontrava um alce ferido pela flecha. Ele matava o animal, assava a carne e comia, até que finalmente ele se sentiu um pouco mais alegre.

Na quarta noite, pensou: “Eu acho que eu poderia ir para casa”, mas de repente ele ouviu vozes humanas vindo do bosque de árvores. Esperando o pior que ele pensou, “Mesmo se eles me matarem, o que é isso! É a morte que procuro.” Mas quando se aproximaram, ele ouviu que estavam falando Dakota.

Um dos dois disse: “Amigo, dê isso a ele”, mas o outro respondeu: “Não, amigo, você dá a ele.” Mais uma vez, o primeiro falou: “Amigo, você fala melhor que eu.” Novamente, o outro recusou, “Mas, não, amigo, você diz a ele”.

Por fim, eles pararam dentro do círculo iluminado pelo fogo, e a maravilha das maravilhas, o jovem viu que eles eram homens de inesgotáveis beleza e, enquanto ficavam ali, seus corpos pareciam emitir luz cintilante.

Finalmente, um falou dizendo: “Menino, com certeza sabemos que você tem muita dor em seu coração, mas uma segunda vez isso não acontecerá – ouça bem!”

Eles pegaram uma longa flauta e um deles começou a tocar. Da boca desta flauta, que foi feita como um peixe agulha, veio um som doce e penetrante.

Então eles lhe disseram: “Tome isso junto com você, garoto, e vá para sua aldeia. À meia-noite, quando as pessoas estiverem dormindo, atravesse o campo tocando esta flauta, e certamente acontecerá que todas as mulheres se levantarão e seguirão você.”
Então, os dois belos homens se viraram e, eis que o jovem viu dois alces desaparecem entre as árvores.

O jovem voltou para casa, e enquanto as pessoas dormiam, ele caminhou entre as tendas tocando a flauta. À medida que a música viajava pelo ar, as mulheres surgiram, arrastando seus cobertores, e começaram a segui-lo. Elas o cercavam fascinadas pela melodia da flauta, mas ele ignorou todas elas, maravilhado pelo som da flauta.

Uma moça o abordou repetidamente, dizendo: “Diga, você não se lembra de mim? Eu sou a filha do chefe. “Mas ele ouviu apenas o som maravilhoso que vinha da boca da flauta.

Uma moça, no entanto, não se juntou à multidão. Ela sentou-se sozinha calmamente fora de sua tenda. E foi ela que o jovem procurou.

Foi um lindo casamento!

Dizem que este menino era o alce original.

Entre os Dakotas, o alce simboliza a beleza, a virilidade, a virtude e os encantos masculinos. Às vezes é dito de um homem que ele é um alce. Este é um grande elogio.

Salve a magia da Siyotanka! Salve a medicina do Alce!
Tudo está ligado, hoje e sempre.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×